quinta-feira, 30 de maio de 2013

Precisamos amar a santidade

Sabemos o que é imperfeito porque existe a perfeição, sabemos o que é feio porque existe o belo, também sabemos o que é errado porque existe o certo. Os parâmetros que norteia os ideais e a moral da humanidade existem desde um tempo em que o tempo não era contado. Antes de a humanidade, anjos, serafins e querubins surgirem, os parâmetros a cerca do que é certo e errado, do belo e feio já estavam definidos.

Assim, a criação começou a surgir em uma dimensão de regras e leis determinadas. O Deus Eterno é o criador de todas as coisas, tanto física, quanto metafísica. João escreve: “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1.1-3). Quando Deus definiu o certo, o errado surgiu; quando ele definiu a perfeição, o imperfeito surgiu. A partir de então o livre-arbítrio surgiu, tendo os seres criados o direito de escolha. Lúcifer não criou o pecado, mas escolheu o pecado (o erro), desde então ele vive tentando convencer a outros escolherem o erro, enganando-os dizendo-lhes que o errado é o certo (Isaías 5:20 “Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo!”).

Santidade é fazer o certo segundo os parâmetros que Deus determinou. O pecado é, portanto sair destes parâmetros. Está escrito em Salmos 19:7: “A lei do SENHOR é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices”. Difícil não é fazer o certo, é escolher fazer o errado. Porque o pecado é fruto de uma escolha. Por isso, aos olhos de Deus, todos nós somos indesculpáveis (Leia atentamente a Epístola de Romanos capítulos 1 e 2). Em cada um de nós, Deus escreveu leis no coração, que para muitos é denominada de “a voz da consciência”. Nunca a ignore! Em qualquer tempo faça sempre o certo, pois é a coisa certa a fazer.

"Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor..." Hebreus 12:14. É desejo ardente de Deus que o homem viva a perfeição em todos os aspectos da vida. Que o marido seja perfeito com a sua esposa, e que a sua esposa lhe seja uma companheira perfeita; que os pais sejam perfeitos para com os seus filhos e os seus filhos vivam em perfeita obediência aos seus pais (Colossenses 3:20  Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor); Que o homem seja justo (Salmos 5:12); Que ame o próximo, pois ele é a criação de Deus; Que ame a Deus acima de todas as coisas, como um ato de gratidão e reconhecimento pelo o que ele é; e etc. Creia que a santidade é algo agradável de se praticar.

A santidade é a expressão máxima de amor a Deus. Podemos declarar o quanto o amamos, mas só podemos provar as nossas palavras quando praticamos, sendo a santidade uma prova de amor. Da mesma forma em que não podemos obrigar a ninguém nos amar e só esperamos, não podemos forçar a ninguém a levar uma vida de santidade a Deus. O que podemos fazer é ensinar as razões que nos leva a amar a Deus. Tudo o que é imposto, temos o hábito de rejeitar imediatamente. Uma vez que a mente se fecha para um determinado assunto, fica quase impossível avançar para uma evolução do pensamento ou da ideia proposta (Zacarias 4:6 “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos”).

Por amor a Deus eu me afasto das más companhias, dos maus desejos, da mentira, da pornografia, da prostituição, do cigarro, do álcool, da idolatria, de toda a forma de violência e etc.

Por amor a Deus eu amo o próximo, faço caridades (ação social), leio a Bíblia, converso com ele em orações, espalho o conhecimento a cerca de Deus aos meus amigos (evangelismo), me torno um pacificador, controlo a minha língua e as minhas vontades, e levo os meus pensamentos cativos a Cristo.

Jesus quando veio a este mundo, foi com o propósito de trazer o homem para perto de Deus. Ele sempre pregava o Evangelho do Reino de Deus, afirmando que estava acessível ao homem através da Graça. Ele se ofereceu como Cordeiro de Deus, sendo sacrificado na cruz do calvário e através de seu sangue todos os nossos pecados são perdoados para sempre. Precisamos nos render a Deus, confessar os nossos pecados, reconhecer que Cristo é Deus conosco, abraça-lo firme e jamais nos afastar de seus caminhos e segui-lo até o fim.

SANTIDADE , segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida (DBA):

1) Atributo de Deus (Pai, Filho e Espírito) pelo qual ele é moralmente puro e perfeito, separado e acima do que é mau e imperfeito {Êx 15.11; Sl 29.2; Hb 12.10}.

2) Qualidade do membro do povo de Deus que o leva a se separar dos pagãos, a não seguir os maus costumes deste mundo, a pertencer somente a Deus e a ser completamente fiel a ele {1Ts 3.13}.

3) No AT, separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto. Eram santos os sacerdotes {Lv 21.6-8}, os NAZIREUS {Nm 6.5-8}, Canaã {Zc 2.12}, Jerusalém {Is 52.1}, o Templo {Sl 11.4}, os altares, o óleo e os utensílios do culto {Êx 30.25-29}, os sacrifícios {Êx 28.38}, etc.

Medite nessa canção e louve ao Senhor:



Eu Quero Ser Santo
Eyshila

Alvo mais que a neve quero ser
Pra te honrar, pra te agradar
E em santidade eu vou viver
Em todo o tempo, pois sou teu templo

Renuncio tudo o que é impuro
Renuncio minha carne, renuncio o mundo
E os sonhos que não te glorificam
Senhor, eu renuncio por amor

Eu quero ser santo, santo, santo
Como santo és, Senhor
Eu quero ser santo, santo, santo
Como santo és

Como santo és, Senhor