sábado, 27 de abril de 2013

Um pouco mais sobre Deus

Ao longo da existência humana, o homem sempre quis conhecer a sua origem e o seu propósito. Essa busca em sua grande maioria se deu de forma errada e ineficaz, mas Deus pelo seu grande amor se revelou a humanidade, rasgando uma cortina de mistério, trazendo respostas as nossas indagações. O homem se desviou de seu propósito original, mas Deus estendendo a sua mão nos trouxe salvação.

Para conhecermos a Deus, primeiro temos de conhecer a Bíblia Sagrada, pois é a través dela que Ele se revela a humanidade. O homem não descobriu Deus, mas o próprio Deus se revelou. Está escrito que a Bíblia ilumina o caminho para Deus (Sl 119:105) e alimenta a nossa alma (Jr 15:16). 

Deus é Espírito e também o Criador de todas as coisas (Gn 1:1 / Jo 4:24 / Hb 11:3). Tudo foi feito por Ele e para Ele (Rm 11:36 / Cl 1:16) e sem Ele, nada do que foi feito se fez (Jo 1.3). No versículo dois, vemos que Jesus, estava no principio com Deus. Ele é a própria vida. Isso revela que na criação, quando Deus falava “Haja”, o próprio Senhor Jesus entrava em ação e fazia as coisas acontecerem (Gn 1:3). Por isso afirmamos que a Palavra é viva (Jo 6:63). 

Os atributos de DEUS revelam alguns aspectos que não são encontrados em nenhum outro ser: 

1) Soberano: Deus é o supremo Senhor, o verdadeiro dono de tudo; 

2) Eterno: Sem princípio e sem fim. Sempre existiu e sempre existirá; 

3) Onisciente: Sabe e conhece todas as coisas; 

4) Onipresente: Está em toda parte ao mesmo tempo; 

5) Onipotente: É o único que pode todas as coisas; 

6) Imutável: Os céus e a terra passarão, mas as suas palavras não hão de passar. Deus não muda a sua opinião através dos séculos. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente (Ml 3.6). 

Deus é o “Criador” de todas as coisas (Gn 1:1) e tudo mais, seja material ou imaterial, são obras de suas poderosas mãos. Nada surgiu por acaso, tudo que existe partiu de algo e o ponto de partida de todas as coisas foi o próprio Deus, a fonte de vida em todo o universo e fora dele. 

O nosso Deus é trino, ou seja, três em um. A Trindade é composta pelo Pai (Jeová) Filho (Jesus Cristo) e o Espírito Santo. São três pessoas diferentes, mas juntos se completam. Só existe um Deus, um só Senhor e uma só fé (Ef 4:4-6), não existem três Deuses. Jesus certa vez disse: “Eu e o Pai, somos um (Jo 10:30)” e outra vez disse “quem vê a Mim, vê o Pai (Jo 14:9)”. Jeová é Deus (2 Sm 7:22), Jesus é Deus (Hb 1:8 / Fp 2:11) e o Espírito Santo é Deus (Jó 33:4 / I Co 2:11). Observe em Números 6:22-27, na benção sacerdotal, que ali o pronome “Senhor” é mencionado três vezes. Em Gênesis capítulo 1, vemos o Espírito de Deus (v.2), o Pai e a Palavra (v3) e o plural no versículo 26 “façamos” o homem conforme a “nossa” imagem e semelhança. 

A grande polêmica em torno da “Trindade Divina” é somente porque a palavra trindade não está escrita na bíblia sagrada. Não é porque a palavra trindade não esteja escrita que a Trindade Divina não exista de fato (Nm 6.22-27). Acrescenta-se a tudo isso que a palavra trindade é moderna e não existia no tempo em que a bíblia fora escrita. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário